sexta-feira, 2 de maio de 2014

Queira alguém que lhe faça bem e que faça aos outros também. Ser gentil é um ato nobre.

Queira alguém que lhe permita sentir-se amado, não incondicionalmente, mas o suficiente para fazer com que você se sinta a pessoa mais especial.

Queira alguém que não se importe em sacrificar a dieta da semana para jantar pizza ou o futebol de domingo para passear na praça. Alguns esforços realmente valem a pena quando o desejo é ser feliz.

Queira alguém que prefira compartilhar planos a traçar metas sozinho. A união entre as diferenças será sempre mais forte que a vulnerabilidade da solidão. Ninguém vive só.

Queira alguém que lhe faça companhia. Que esteja próximo, mesmo longe, mas que se faça presente quando necessário. Quem muito se ausenta, aos poucos, deixa de fazer falta.

Queira alguém que goste de conversar mesmo sobre aquilo que pode ferir. A clareza na comunicação é o melhor remédio contra as fantasias que costumam assombrar a mente humana.

Queira alguém que lhe respeite da maneira como você é: pequeno, grande, gordo, magro, vermelho ou amarelo. E que não fique lhe comparando aos demais quando na praia, na tv, no barzinho ou mesmo na rua. Existem belezas diferentes. Mas a tristeza que surge em razão da desconsideração é igualmente grande a todos que se sentem menosprezados.

Queira alguém que possa tê-lo como uma figura de apego e vice-verso em diferentes momentos da vida. Muito se engana quem acredita que apego pressupõe dependência. Pelo contrário, ter o outro como uma base segura, alguém com quem contar, possibilita maior autonomia para afastar-se, mas também retornar.

Queira alguém que lhe complemente. Que saiba pouco, mas que queira aprender junto de você. Que compreenda que as disparidades são parte fundamental da essência de cada ser, da bagagem que cada um carrega.

Queira alguém que caminhe ao seu lado sem disputar pela melhor posição. Quando se deseja percorrer uma rota em conjunto, nada melhor que de mãos dadas.
Namorado(a) de final de semana não existe!
Amigos(as) de final de semana não existem!
Pai ou mãe de final de semana não existem!
Tampouco, filhos(as) de final de semana.

Alguns papeis não existem - ou não podem existir - só de vez em quando.
Responsabilidades: estas existem!
O que não existe é o cumprimento de determinados compromissos só quando se bem entende. Isso é egoísmo!

É preciso existir todos os dias para alguém, assim como se espera o mesmo para consigo.
Existir é uma troca espontânea, mas que se deseja fazer.
Engana-se quem pensa que o existir pressupõe cobrança ou sacrifício.
A tarefa de existir está envolta ao cuidado. Logo, significa importar-se.
Preocupar-se, às vezes, é mais simples do que se costuma pensar.

E, àqueles que só se mostram próximos no final de semana, estes, de fato, não existem.
Ninguém pode existir integralmente quando peca por momentos específicos.
Aquele que está sempre muito ocupado, perde pra disponibilidade de tempo da concorrência!
Uma mulher não precisa ser vulgar para se tornar bonita.
Há muita beleza na inteligência!
É melhor ser admirada pela maturidade dos pensamentos e pelo conteúdo que carrega, que ser lembrada por "gostosa sem cérebro".